Já ouviu falar em empréstimo com garantia imobiliária? Veja como levantar uma quantia alta pagando pouco e a longo prazo!

Você sabia que há um tipo de crédito onde você levanta um dinheiro alto e pode pagar com juros baixos a longo prazo? Ideal para quem quer investir em um negócio, estudar fora, viajar o mundo ou mesmo quitar dívidas, o empréstimo com garantia imobiliária pode ser a solução.

A modalidade pode ser pouco conhecida no Brasil, onde muitas vezes é confundida com a hipoteca, mas é bastante comum na Europa e nos Estados Unidos.

Os juros são bem menores do que os usualmente praticados para empréstimo pessoas e no cartão de crédito, por exemplo, podendo ser encontrados na faixa de 1% ao mês. Além disso, você pode ter até 180 meses para pagar, o que é um alívio para quem precisa de muito dinheiro em pouco tempo.

Como funciona o empréstimo com garantia imobiliária

Como o próprio nome já diz, o empréstimo com garantia imobiliária é um tipo de crédito no qual você dá o seu imóvel como garantia. Por isso mesmo os juros são tão baixos. O risco de inadimplência são muito pequenos, tornando a operação segura para os bancos e barata para o consumidor.

Ao contrário do que muita gente pensa, nem é preciso que o imóvel esteja quitado para servir de garantia. Além disso, você continua fazendo uso normal do bem, seja para morar ou alugar – e até vender.

O imóvel, no entanto, fica em nome do banco durante todo o período do contrato, registrado em cartório em um processo extrajudicial. E é essa a grande diferença em relação à hipoteca.

Empréstimo não é hipoteca

Na hipoteca, o imóvel fica em nome do proprietário, e, em caso de inadimplência, é preciso uma decisão judicial, após um longo processo, para a instituição credora ter a posse do bem.

Além do tempo decorrido, há as custas do processo e toda uma parte burocrática que, na verdade, não interessa ao banco. No empréstimo com garantia imobiliária o sistema é bem mais simples e menos burocrático, por isso sai também mais em conta.

Assim, é possível financiar até 60% do valor do imóvel e pagar suavemente ao longo dos anos em juros por volta dos 12%. Mas muito se engana quem pensa que o banco faz tudo para ficar com o seu bem. Muito pelo contrário.

Em caso de inadimplência, o imóvel vai a leilão. Uma vez vendido, o valor resultante é utilizado para quitar a sua dívida com o banco e o restante retorna para você. Apenas se a venda não ocorrer em dois leilões o bem fica com o banco, mas mesmo assim todos os gastos passam a ser da instituição.

Por isso, geralmente mesmo em caso de dificuldade para pagamento do cliente, o banco está aberto a renegociações. Para ele mais valem os juros, mesmo baixos, que você paga do que um imóvel gerando gastos.

Veja o que é necessário

O processo para pedir um empréstimo com garantia imobiliária não é complicado, mas há detalhes que merecem atenção. O imóvel pode ser residencial ou comercial, mas precisa estar com sua documentação em dia.

O primeiro passo é fazer várias simulações online, nos próprios sites dos bancos. Compare taxas e escolha a instituição. Veja todos os documentos necessários e os envie, porque, apesar do imóvel como garantia, também é feita uma análise de crédito.

Todos os documentos são analisados, assim como sua capacidade de pagamento, perfil de pagador, comprovação de renda, etc. O imóvel também passa por uma avaliação e, estando tudo aprovado, é liberada uma Cédula de Crédito Bancário (CCB).

O passo seguinte é registrar o imóvel em nome da instituição no Cartório de Registro de Imóveis e entregar o contrato no banco. O valor é então liberado na sua conta.

Imóvel pode ser vendido

Outra vantagem do empréstimo com garantia de imóvel é que o bem pode ser vendido durante a vigência do contrato. Para isso, é preciso que você negocie com o comprador deixando clara a situação e que parte da quantia será usada para quitar a dívida com o banco.

O comprador, então, faz a quitação do saldo devedor e aguarda a baixa na alienação fiduciária, o que leva cerca de 30 dias. Quando a baixa tiver ido dada, o comprador paga o restante do valor ao proprietário e pode passar o imóvel para o seu nome normalmente.

É preciso frisar, no entanto, que é preciso quitar antes a dívida com o banco para que a venda seja concluída.

Operação pode ser feita com imóvel de outra pessoa

Outra vantagem do empréstimo com garantia imobiliária é que o bem não precisa, obrigatoriamente, estar em seu nome. O proprietário, no entanto, tem que estar de acordo: ambas as assinaturas, a sua e a do dono, constarão no contrato.

Nesse caso, o proprietário é chamado de interveniente ou garantidor, e não precisa ser um parente de sangue. Se você tem renda e crédito aprovados e seu amigo o imóvel, ele pode ser colocado como garantia do empréstimo.

A operação é perfeitamente legal, desde que haja comum acordo em todas as etapas do processo sejam cumpridas.

Em qualquer procedimento imobiliário, procure contar sempre com uma boa assessoria. Tendo um especialista a seu lado você conhece as melhores opções do mercado e tem muito mais segurança nas suas transações.

Fale com um consultor da Mirantte e saiba mais sobre o empréstimo com garantia imobiliária e outras oportunidades de negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *