Que tal pagar menos por sua casa própria? Veja porque essa pode ser uma ótima oportunidade de pagar menos juros no seu financiamento!

Saving to buy a house, real estate or home savings, piggy bank in front of property

Você sabia que pode economizar na compra da sua casa própria fazendo a portabilidade do seu financiamento imobiliário? Com a taxa básica de juros (Selic) no menor patamar histórico essa pode ser uma excelente ideia.

Selic influencia os juros de todas as operações do país, e interfere indiretamente nos financiamentos, já que os bancos costumam acompanhar o aumento ou queda da Selic para definir os juros do crédito imobiliário.

O cenário atual, então, é bastante favorável para o consumidor, já que a Selic está tão baixa – e, automaticamente, os juros para o mercado imobiliário também tendem a cair.

Assim, é possível encontrar juros mais baixos do que na ocasião em que você financiou sua casa própria. Transferindo sua dívida para outro banco você consegue taxas melhores, reduzindo o valor das parcelas. Veja por que vale a pena considerar seriamente essa opção!

Pague sua dívida com juros menores

A portabilidade é um instrumento totalmente legal, liberado desde de 2006 e que permite que você leve seu financiamento imobiliário para outro banco que ofereça taxas melhores de juros. Apesar de muito burocrático no início, hoje o procedimento está muito simplificado e é totalmente gratuito.

Esse, aliás, é um ponto que vale a pena ficar atento: não é permitida nenhuma cobrança para a transferência da dívida de um banco para outro. Todo o processo é feio diretamente de um banco para outro sob a fiscalização do Banco Central.

Além disso, a portabilidade é bem rápida, já que as informações devem ser repassadas de uma instituição para outra em apenas dois dias. O seu banco atual tem até cinco dias para fazer uma contraproposta.

A grande vantagem é conseguir levar o seu crédito imobiliário para uma instituição com taxas menores. No entanto, o tempo de pagamento não muda – mas o valor das parcelas cai, já que você renegocia o valor total da dívida e os juros.

É bom lembrar que a portabilidade só pode ser feita para financiamentos de imóveis prontos, sem exigência de valor mínimo.

Quando a portabilidade vale a pena

A portabilidade é vantajosa quando você tem a possibilidade de pagar sua dívida com juros menores – e isso significar realmente um gasto menor no final.

Com a taxa Selic com seu menor índice histórico, a 6%, e uma briga ferrenha entre os bancos para conquistar mais clientes, essa pode ser uma boa oportunidade para pagar menos por sua casa própria.

Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal são alguns dos bancos que aceitam a portabilidade. Outros, como o Itaú Unibanco, estão operando em fase de teste da modalidade, que deverá ser liberada em alguns meses.

Mas é preciso atenção se você optar pelo financiamento pela IPCA, a nova modalidade da Caixa. Nesse caso não é possível fazer portabilidade para nenhuma instituição financeira que opere com qualquer outro tipo de indexador, como a TR (Taxa Referencial).

De qualquer forma é bom ficar atento, porque alguns bancos também já estudam a possibilidade de lançar crédito imobiliário pelo IPCA. O Bradesco é um deles.

Como aproveitar a baixa dos juros e fazer a portabilidade

Só no primeiro semestre de 2019 foram feitos 3.466 pedidos de portabilidade em todo o país, de acordo com as informações do Jornal O Globo.

A transferência da dívida é um processo fácil e rápido, praticamente sem burocracia. Mas isso não significa que não seja feita análise de crédito para que o novo banco tenha certeza da sua capacidade de pagamento.

Por isso, para fazer a portabilidade para uma instituição com juros menores, é preciso ter uma cópia do seu contrato de financiamento que será transferido e um extrato atualizado da evolução da dívida.

A portabilidade fica, então, condicionada a dois fatores: à aprovação do crédito pelo banco e à aceitação do risco pela seguradora. Isso porque, na verdade, é como se fosse uma nova contratação do seguro imobiliário, composto pelas coberturas de Danos Físicos ao Imóvel (DFI) e de Morte e Invalidez Permanente (MIP).

Há algumas situações, portanto, em que a portabilidade pode não ser realizada. Basicamente há 4 delas:

  1. Se o contrato for de um financiamento de imóvel na fase de construção;
  2. Se a sua renda for menor do que o valor das parcelas;
  3. Se houver atraso no pagamento das parcelas;
  4. Se o seu nome estiver negativado.

Estando tudo certinho, sua portabilidade ai render bons frutos para o seu orçamento e você conseguirá pagar menos por sua casa própria.

Assim, como a Selic em 6% você encontra várias instituições que estão oferecendo juros mais baixos do que quando você fez seu financiamento imobiliário.

Ficou com alguma dúvida, quer saber mais sobre a transferência da sua dívida a juros mais baixos? Venha conversar com os especialistas da Mirantte e conheça e tenha a segurança de estar fazendo o melhor negócio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *