Mais do que uma mera tendência, a arquitetura sustentável tem se mostrado a melhor alternativa para garantir a qualidade de vida. Além de procurar minimizar a interferência negativa do homem no meio ambiente, a sustentabilidade no setor imobiliário gera economia na construção e na moradia, melhora o bem-estar dos moradores e preserva a natureza.

Estudos mostram que o assunto tem se tornado um diferencial na hora da compra do imóvel. De acordo com o próprio Secovi-SP, o Sindicato da Habitação, os empreendimentos sustentáveis saem na frente na preferência dos consumidores. Estruturas de preservação ambiental são cada vez mais cobradas pelos compradores.

O Brasil é hoje o quarto país do mundo em empreendimentos sustentáveis, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Emirados Árabes. Cada vez mais surgem empresas especializadas em arquitetura sustentável, com ações que variam das mais simples às maiores inovações tecnológicas, todas com impacto positivo para a sociedade.

Conheça algumas das práticas adotadas pela arquitetura sustentável e quais os conceitos que devem se atendidos para que um empreendimento conquiste uma certificação ambiental.

Diferenciais da arquitetura sustentável

De uma maneira geral, a arquitetura sustentável prevê que o empreendimento contemple três questões básicas: o consumo de energia limpa, o reaproveitamento da água e o reaproveitamento de materiais de forma a reduzir ao máximo tanto o entulho durante a construção quanto o lixo durante seu uso.

Dessa forma, a arquitetura sustentável começa já na escolha do local. Quanto mais próximo de serviços básicos, menor a necessidade de uso de carros, incentivando o transporte alternativo, como a bicicleta.

A escolha dos materiais para a construção e a sua utilização também deve ser feita de forma a reduzir o máximo possível a quantidade de resíduos e entulho.

No projeto, o uso de produtos transparentes e grandes aberturas devem favorecer tanto a entrada da iluminação natural quanto a ventilação cruzada. Dessa forma, é reduzida a necessidade de luzes artificiais e de aparelhos de ar-condicionado.

Por outro lado, a preferência deve recair sobre materiais produzidos de forma limpa, a partir de matérias-primas existentes em abundância e com baixo impacto no meio ambiente.

Reutilização da água e otimização da energia

Um empreendimento de arquitetura sustentável deve prever o reaproveitamento da água, com sistemas de captação, tratamento e reuso.

Esse processo deve considerar não apenas a água da chuva, mas também a proveniente de chuveiros e máquinas de lavar roupa, que podem ser reutilizadas para lavar pisos e carros, regar plantas ou na descarga do banheiro, por exemplo.

A energia também é um foco importante para a arquitetura sustentável. O projeto deve prever soluções que reduzam o gasto energético, não apenas pela entrada de luz natural, mas também por seu melhor aproveitamento, como com painéis fotovoltaicos e sistemas de aquecimento solar.

Colocadas sobre a cobertura, essas células captam a luz do sol e a convertem em energia elétrica limpa.

Conheça as certificações utilizadas no Brasil

Em todo o mundo as certificações ambientais atestam a qualidade ambiental da construção e das soluções empregadas para garantir a sustentabilidade do empreendimento.

Essas certificações têm como base tanto as práticas adotadas durante a obra como as ações inovadoras para garantir a continuidade dos procedimentos de proteção ao meio-ambiente.

Hoje, no Brasil, são adotadas duas certificações ambientais. A Aqua (emitida pela Fundação Vanzolini) e a LEED (emitida pela United States Green Building Concil), ambas americanas. Há ainda dois selos brasileiros, o Sustentax e Procel Edifica.

Empreendimentos sustentáveis são mais valorizados

Não são apenas os consumidores residenciais que dão preferência aos empreendimentos com arquitetura sustentável. De acordo com o Secovi, 45% dos edifícios registrados para certificação ambiental são comerciais, o que demonstra a alta procura.

O motivo é simples: este tipo de imóvel que agrega um valor até 10 vezes maior do que o do seu investimento adicional ao longo de 20 anos. Além de ser mais econômico durante seu uso, a arquitetura sustentável valoriza o empreendimento.

Com os consumidores cada vez mais exigentes, a arquitetura sustentável é uma vertente que se fortalece a cada dia.

Apostar em medidas sustentáveis, que reduzam o uso de energia elétrica, o desperdício de água, o excesso de lixo e a falta de reciclagem é preservar o meio ambiente, cortar custos e valorizar o imóvel, com mais qualidade de vida para todos.

Você já conhece os empreendimentos em arquitetura sustentável da Mirantte? Aqui você encontra as melhores ofertas e garante a valorização do se investimento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *